Sem categoria

     Coronavírus – O combate a um inimigo invisível por Kleber Joilson 

LUTA SILENCIOSA           

Estamos vivenciando uma mudança mundial em vários campos e esferas da sociedade que pegou a todos de surpresa nos últimos dias e para solucionar o grave problema que assola nosso planeta e para combater um inimigo silencioso, fomos obrigados a nos separar e deixar o que mais gostamos de fazer por um tempo.

Da noite para o dia foram liberados recursos para diversos setores como a SAÚDE que é um dos pilares da nossa sociedade vimos o mundo se mobilizar para combater um inimigo invisível e cruel o COVID-19 o coronavírus.

Passamos a entender o verdadeiro sentido de HUMANIDADE, as guerras cessaram e deram lugar a SOLIDARIEDADE.

Todos deram as mãos e pensando uns nos outros, diante dessa adversidade atual que enfrentamos, vemos verdadeiros atos de solidariedade vindos dos lugares mais incomuns e notamos que aqueles que têm menos são os que mais ajudam.

Para nos manter saudáveis, tivemos que nos insolar dentro das nossas próprias casas com nossas famílias e nos reinventarmos no dia a dia para ter uma rotina fora da nossa rotina habitual, passamos mais tempo com nossos filhos e trabalhando de casa.

Por ordens dos órgãos de saúde, nada de passeios nas ruas ou lugares aglomerados, sair na rua só para o essencial conforme solicitado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Lado positivo:

Durante todo esse período de isolamento social, tivemos mais tempo para ajudar nossos idosos, como uma forma de retribuir o que fizeram por nós lá atrás.

Reforçamos a educação das nossas crianças que antes era em conjunto com as escolas, agora os pais acompanham mais de perto. A pandemia do Covid-19 (Novo Coronavírus), obrigou o fechamento de estabelecimentos como: os shoppings centers, mercados, lojas e feiras, sem quase nada para fazer toda uma rotina precisou ser adaptada.

Em só pensamento, todo o mundo respira esperança e juntos vamos vencer esse inimigo em comum, que já ceifou mais vida que muitas guerras.

Seguimos nesse embate onde o inimigo está em todo canto, e se move mais rápido que as tentativas de encontrar uma CURA, e profissionais que trabalham na linha de frente (Médicos e Cientistas), lutam com armas inferiores contra um inimigo que se adapta a cada segundo.

Em meio a tantas baixas há casos onde aqueles que foram acometidos, conseguiram vencer graças a vontade de querer viver e aos esforços de médicos e enfermeiros que embora desvalorizados estão comprometidos e lutando bravamente para cumprir a missão, porém muitos deles são contaminados e infelizmente não retornaram para suas famílias com vida.

Temos a sensação de estamos aprendendo a viver em um planeta que deveríamos respeitar, e em algum momento foi esquecido, caiu no descaso. Mesmo sendo difícil admitir que o  mundo está longe de uma vitória o que devemos fazer é continuar lutando por nós, pelo próximo, por aqueles que se foram e aqueles que estão lutando pela vida em leitos hospitalares.

Em todo mundo, perdas de vidas acontecem a todo instante em todas as classes sociais, e isso é difícil de aceitar, mesmo não as conhecendo, como seres humanos, sentimos a dor dos familiares e nos solidarizamos com eles, em meio a desgraça humana, o ser humano  tem a chance de ser melhor,  a tragédia que cerca o mundo resgatar a empatia através de ações, doações e voluntariado.

Percebemos o quanto o ser humano é frágil e pequeno, quando paramos diante de uma doença que ataca humanos sem dó. A vida passa a ter valor, percebemos que o planeta está com o ar mais puro, que em certas cidades do mundo que são cortadas por rios e mares as águas estão mais limpas. Lugares onde o céu era coberto por nuvens de poluição, agora o céu está mais limpo e do chão as pessoas olham o topo dos arranha-céus.

A natureza aos poucos está se renovando, enquanto as pessoas tentam sobreviver a cada dia em um confinamento em casa, dá até para analisar como se sentem os animais que são aprisionados em gaiolas e achamos lindos o seu cantar oprimido.

Podemos dizer que, tudo isso é o resultado da ambição descabida humana, da falta de respeito para com a vida, mais cedo ou mais tarde o troco chegaria.

Seria necessário uma tragédia para todos se unirem? É difícil acreditar.

Em muitos lugares a solidariedade, empatia e educação, fazem parte do cotidiano das pessoas, elas são gentis por natureza e por isso se ajudam sem interesses em tempos de bonanças e de crise como essa que passamos.

Para nós que não temos esse hábito agora em meio a essa turbulência estamos reaprendendo a sermos mais gentis, solidários, aprendendo a nos colocarmos no lugar do outro, ajudando estranhos, valorizando a vida e lutando para salvar os outros e a nós mesmos.

Para termos uma ideia de quanto o mundo está mudando, por conta da pandemia do coronavírus, até fábricas de misseis estão produzindo máscaras, protetores faciais e respiradores em larga escala para abastecer os hospitais.

Embora seja cedo afirmar uma vitória completa, mas aos poucos especialistas já diagnosticaram pessoas curadas em várias cidades do mundo e retornando aos seus lares, e outras em um certo período de tempo também retornarão para casa, mas, mesmo assim, continuam sob cuidados médicos. Temos que ter consciência que é uma questão de saúde mundial, e todos precisam contribuir para que essa situação passe. E para que possamos “voltar” a nossa rotina e tirar de tudo isso como uma lição aprendida.

Os decretos que estão sendo publicados solicitando nosso isolamento em casa foram solicitados por especialistas, conforme  a Organização Mundial de Saúde e não por alguém que tenha interesse próprio.

Pequenos e grandes empresários, vendedores informais e lojista,  de um modo geral todos passam por dificuldades financeiras, porém com esperança de poderem se reerguer, basta um pouco de paciência e fé.

O distanciamento social imposto, ainda é a única forma de protegermos a quem amamos e assim, já já possamos voltar aos nossos trabalhos e convívio social em bares, lojas, cinemas, escolas e aquele abraço e aperto de mão adiado por tanto tempo, poderá ser mais demorado.

 

“PRESERVANDO O PRESENTE GARANTIREMOS UM FUTURO MELHOR”

 Por Kleber Joilson Servidor Público

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *