Notas do blog

Feminicídio-Homem mata professora, e faz compras com cartão da vítima, sem remorso.

Foi apresentado na manhã desta quarta-feira(22), no auditório da Polícia Civil, na Beira-Mar em São Luís, Márcio Jorge Lago Marques ele que confessou que matou a professora Rosiane Costa, o corpo dela foi encontrado na manhã de segunda-feira (13), com marcas de estrangulamento no campus da UFMA na capital.

Ele chegou na sede da Polícia Civil, por volta das 11 horas da manhã. Marcio está preso temporariamente, pelo prazo de 30 dias, cumprindo pena no Complexo São Luís, em Pedrinhas.

Na coletiva a delegada Viviane Azambuja, responsável pela investigação do feminicídio passou detalhes do crime. A vítima e o suspeito se conheceram por meio de um site de relacionamento (aplicativo de celular). Eles tiveram um relacionamento de dois anos.

Durante o tempo que conviveram juntos, ela emprestou uma quantia em dinheiro para Marcio Jorge que não conseguiu se livrar da dívida, mesmo com as constantes cobranças de Rosiane Costa. O que motivou o crime que levou a morte da professora.

Ainda segundo a polícia, eles tiveram relação sexual, e logo depois ele matou a vítima com um golpe conhecido popularmente por ‘mata leão’ na casa dele. Logo depois ele seguiu com o corpo da professora no Campus da UFMA”, disse a delegada Viviane Fontinele.

A polícia contou com o auxílio de câmeras de videomonitoramento que gravaram o percurso do carro utilizado pelo criminoso.

Ainda segundo a delegada mesmo após a morte o criminoso que é casado,  buscou a esposa em no trabalho e fizeram compras em um supermercado da cidade. Toda mercearia foi pago com dinheiro da vítima, e continuou sacando dinheiro e gastando.

Márcio Jorge Lago Marques foi preso na noite desta terça-feira (21), na Avenida Litorânea, enquanto estava em um bar consumindo cerveja. Ele sacou todo o dinheiro que estava na conta da vítima, cerca de R$ 11 mil, segundo a polícia.

Familiares da professora foram até a sede da polícia civil. Demonstravam dor e revolta pela perda precoce e cruel da vítima de mais um feminicídio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *